Em busca da máquina de escrever

April 26th, 2008 by Renato

Em “O Regate do Soldado Ryan”, uma das coisas que chama a atenção é que um dos soldados que chega à praia de Omaha no Dia D (ou um pouco depois) é convocado para o grupo que vai resgatar o tal soldado Ryan e tem que deixar para trás sua máquina de escrever e levar um fuzil.

Em minha opinião esta cena exemplifica algo que perdemos com a revolução tecnológica: a facilidade de uso máquina de escrever.

typewriter  


Ela foi praticamente um ícone do século XX, mas com o surgimento dos microcomputadores nos anos 1980 foi perdendo espaço até a extinção.

Tudo em nome das vantagens que a nova tecnologia ofereceu: na correção durante a edição (adeus branquinho), reutilização simples do trabalho já realizado (adeus papel carbono) e a facilidades de edição que não seriam conseguidas antes sem um profissional da área tipográfica.

Mas deixamos algo para trás no caminho. A máquina de escrever oferecia vantagens que não temos hoje, nem com melhores laptops:

- Para usá-la bastava uma superfície plana. Os modelos mecânicos não precisavam nem ao menos de energia elétrica.

- Com um pouco de manutenção (limpeza e lubrificação) ela poderia durar a vida toda. Literalmente.

- Nada de acessórios. Um modelo portátil precisava apena de uma tampa para protegê-la no transporte. Nada de cabos de força, carregadores ou cabos de rede.

Claro que não era prático ficar carregando máquina de escrever para cima e para baixo, mas toda vez que tenho que tomar notas antes de uma aula ou durante um curso fico imaginando qual dispositivo poderia ser considerado “a nova máquina de escrever”.

Selecionei aqui algumas tecnologias que já testei, sempre em busca do menor custo possível com a melhor eficiência.

PDA

Eu tenho um Palm Zire 72 que serve como bloco de notas e agenda eletrônica, além de rodar alguns outros aplicativos. Já é um gadget antigo, mas quebra o galho. Sempre priorizo o custo x benefício e não a última moda. Eventualmente uso o Documents to Go para editar textos no formato do Word, o que permite trabalhar o documento depois em um desktop.

O problema do PDA isolado é o reconhecimento de escrita. Os PDAs da Palm exigem que você desenhe as letras, o que não é muito rápido. Eu pessoalmente nunca consegui ser tão rápido no Graffiti como sou na escrita normal, o que torna o processo menos natural.

O PDA pode ser acoplado a um teclado dobrável, o que torna o processo de digitação melhor, mas surge o problema de carregar dois dispositivos para todo lado, além do que minha experiência mostra que o teclado infravermelho é muito sensível à iluminação do ambiente. Dependendo do local, ele simplesmente não consegue conectar com o PDA. Nunca me animei a adquirir um teclado Bluetooth, pois a era dos PDAs está no fim.

teclado palm

Além disso, a tela dos PDAs é muito pequena para que a digitação de textos longos seja confortável.

Smartphone

O PDA está caindo em desuso em nome dos novos Smartphones, que combinam as funcionalidades do primeiro com as de um telefone celular. Os modelos mais recentes como o MotoQ e Nokia N95 vem equipados uma tela com tamanho razoável para leitura de e-mails e um pequeno teclado.O problema destes teclados é que eles não são feitos para um ser humano normal. Qualquer coisa que você tente digitar mais longa do que “Sim” ou “Aprovado” se torna um exercício de paciência por causa das teclas diminutas. Tente editar um artigo longo neles e você vai pensar no suicídio.

O problema das telas é o mesmo do PDAs, eles são feitos para a leitura a alguns centímetros do rosto, mesmo que você acople algum tipo de teclado (o que nunca vi), a digitação será desconfortável.

A Palm até que tentou corrigir isso com o Foleo, mas era um produto confuso e morreu antes de chgar às lojas.

Escrita Digital

Alguns anos atrás li sobre um produto diferente da Logitech chamado Io. Trata-se de uma caneta comum com capacidade de registrar digitalmente a escrita, desde que usada em um papel especial com micro marcas que permitem a identificação do movimento do usuário.

digitalio2

Tudo o que seria necessário para escrever textos seria a própria caneta e um caderno feito com o papel especial. O preço também era razoável (a última cotação foi US$ 149,99 nos EUA).

Pareceu-me uma idéia excelente, mas surgiram alguns inconvenientes:

- O texto gerado é gravado na forma de um arquivo gráfico. Se quisermos transformá-lo em um texto editável, é necessário um programa de OCR. Fazero OCR entender a escrita manual pode ser muit difícil (e eu tenho a letra feia).

- É necessário um suprimento constante do papel especial.

- A tecnologia pareceu nunca empolgar muita gente

A Nokia lançou uma caneta baseado na mesma tecnologia que tambem falhou em se tornar um produto popular.

A história da tecnologia é cheia de boas idéias que nunca se tornaram produtos de sucesso. Infelizmente a Escrita Digital parece ir por esse caminho. O site da Logitech informa que eles irão repassar a linha de produtos Io para outra empresa ainda não identificada.

Notebooks

Bons notebooks seriam a solução ideal para o problema da escrita, mas tenho minhas restrições pessoais a eles:

- Preço: Notebooks leves são caros. Mesmo com a crescente queda de preços, dólar baixo, etc., ainda estamos falando em equipamentos com preço acima de R$ 5.000.

- Segurança: Moro em São Paulo. Notebooks são um chamariz de assaltantes, exceto em áreas extremamente específicas, o que limita muito seu uso.

- Bateria: As melhores baterias ainda não conseguem ultrapassar seis horas sem recarga. Isso nos obriga a ter que transportar sempre o carregador, além do notebook propriamente dito.

Processadores de Texto

Houve um tempo em que se produziam equipamentos de uso específico, ao invés dos computadores de uso genérico de hoje.

Muita gente da antiga lembra com saudade de equipamentos como os processadores de texto da Tandy e outras marcas hoje desaparecidas.

tandy_wp2_1s

Funcionando com pilhas comuns, com um teclado quase de verdade e extremamente leves, eles seriam a solução ideal para a escrita. Como são aparelhos antigos, não tenho referência de preço. Pelo menos uma empresa, a Alphasmart tentou produzir algo semelhante com a plataforma da Palm, mas o produto nunca pegou.

Eee PC

Minha próxima aposta é o Eee PC da Asus e seus futuros descendentes.

Trata-se de um notebook de baixo custo, com processador lento, pouca memória RAM e memória flash ao invés de HD.

Ele tem algumas vantagens sobre os notebooks convencionais e smartphones: é barato (entre R$ 300 e R$ 400 nos EUA), tem um teclado de tamanho razoável e é bastante leve, permitindo que você o transporte constantemente sem ficar com problemas na coluna.

O pequeno notebook tem sido um sucesso de vendas desde seu lançamento, apesar dos recursos limitados, e a Asus não para de lançar novas versões. As últimas irão aproximá-lo dos notebooks convencionais, com tela de 10 polegadas. A concorrência acusou o golpe e talvez, finalmente, tenhamos acesso a dispositivos de escrita baratos e fáceis de transportar e usar, como a máquina de escrever já foi um dia.

eee 

 

Posted in Notícias e Opiniões | 2 Comments »

2 Responses

  1. Ismael Says:

    Eu fico com o notebook. Mas não porque você falou “preço acima de R$5000″. Hoje tem pra todos os tipos e gostos (e quase todos os bolsos). Lógico que o acima dos R$5000 pode estar se referindo só aos ultra leves, mas o peso em torno de 3Kg (notebook+carregador) não me parece exagerado para um adulto. Mas, veremos o futuro desse EeePC

  2. anderson Diego Gama Reis Says:

    adorei esse post, sinceramente senti falta desse tipo de assunto. Bom, eu mesmo tenho um not da Ace, mas sinceramente, depois de acontecer algo na faculdade em que o professor passou um trabalho e pediu para a turma trazer no dia seguinte, pois bem, muitas pessoas fizeram em seus not ou levaram em pen drives, para que pudéssemos imprimir, só que ai, no dia seguinte quando fomos imprimir a moça disse que estava em manutenção e como não havia outro local perto da faculdade aberto (já era noite) perdemos 5 pontos da parte escrita do trabalho, aí, desse dia para cá eu comprei uma máquina de escrever, porque, apesar dela ser antiga, não depende de energia e imprime na hora rs.
    eu sou mais a máquina de escrever, hoje em dia só utilizo o meu not para pesquisas e enviar e-mails.

    Abraços

Leave a Comment

Please note: Comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.